sábado, 12 de abril de 2008

Triangulos. Ou 'Hora de Voltar'?

"Tinha terminado, então. Porque a gente, alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina. Ou quando começa: certo susto na boca do estômago. Como o carrinho da montanha-russa, naquele momento lá no alto, justo antes de despencar em direção. Em direção do quê?"


Caio Fernado Abeu








Sempre espero pela gota que parece ser a que encherá o copo. Mesmo esperando, quase sempre trasnbordo-o na hora errada, ou, pela causa errada. Estando etílica demais, sou períta em criar tormentas em cálices. Porque as lágrimas verteram, e elas realmente verteram, não sei ao certo, mas ando tão cansada dos caminhos nos quais meu coração se perdem, tão cansada da impressão de que é sepre o mesmo atalho errado que escolho que chorar foi até compreensivel e acertado.


Valeria um pouco mais de emoção nesta vida desbotada, se ela for semelhante as incostâncias e incertezas do passado?
É, ao pedir aos céus que realize seus desejos, certifique-se das intrepretações possíveis para sua frase silenciosa.


Antes de sentar aqui e me rasgar o peito um pouco mais, ou só por isso, li uma frase, que minha culpa me fez deduziar q seja direcionada a mim - "chega de dúvidas. incertezas até quando?" - e que inevitavelmente me fez pensar o quanto cruel - e belo só no cinema ou no blog alheio - podem ser nossos desencontros amorosos; o desejar quem não te deseja; querer quem não te vê, ou pior, que só vê outro alguem.


Tive, continuo tendo, medo, muito medo de que esta noite tenha sido um grande sinal do destino: - Ai, você processegue ou desce nessa estação, novamente?


Quando já não tinha esperanças de receber uma ligação, quando já não tinha mas medo de sua aproximação nem tampouco dúvidas de que o melhor é não retomar velhos sonhos... eu me surpreendi.





Há homens que me arrebatam sem que eu possa lutar contra, me deixam em suspensão, só a esperá-los, que me seduzem por serem indecifráveis.
Há palavras que nunca deveriam ter nascido para presentear o outro.
E eles, cada um a seu modo, zanzam ora em minha mente, ora em coração...
Mas, resumo dá ópera: quem tem dois, não tem ninguém.
E continuo invicta!!!




Letrinha do dia: "Não perca o tempo assim contando estória, pra que forçar tanto a memória pra dizer que a triste hora do fim se faz notória, e continuar a trajetória é retroceder..."



Um comentário:

Ele disse...

A vida é feita de incertezas... Não temos certeza de quem somos, do que representamos para os outros, do que nos tornamos com o tempo, do que iremos ser no amanhã.