quarta-feira, 23 de março de 2011

Choro, falta de ar e um banheiro

Ainda tremendo, acabo de fazer mais uma descoberta sobre mim: Sou claustrofóbica.
A ironia  é descobrir o quanto o confinamento é insuportável para minha natureza do lado da grade onde julgamos estar libertos.
Eu que tento convercer as minhas clientes do contrário, descobrir que parede pode engolir gente, sim!
Por isso, de hoje em diante, na cadeia, "xixi" só com a porta do banheiro aberta.

5 comentários:

Tempo Livre disse...

Porque perceber que a gente não se conhece 100% assusta... e deixa a gente claustrofóbico mesmo!

bjinhos

Mazane disse...

Essa vida de liberdade vijiada ai, ai!!!!!!

Julio Cesar disse...

Oi M.,
humm...concordo com 'Tempo Livre', antes de pensar em nos conhecermos 100% é primeiro preciso aceitar que nunca nos conheceremos 100%.

O dita história do inicio da humanidade (sem entrar em méritos de veracidade e tal) tem como ponto de partida um casal (o primeiro) que perdem a chance de terem uma vida maravilhosa e perfeita por desejarem 'comer do fruto da arvore do conhecimento'(conhecimento esse da ordem da divindade).
Já para Freud, a maior angústia do homem é a morte, a finitude, e o abismo secreto que há por detrás dela, em que reside, segundo ele, a raiz dos nossos males.
Para Sartre, a imprevisbilidade nos é algo inerente. Possuímo-lo-a invariavelmente e involuntariamente.
Essa condição nos leva a condição de jamais termos a certeza sobre qualquer evento.
A incerteza emerge das profundezas do negro desconhecido para assombrar à aqueles que buscam a determinação de suas ações no intuito do controle, num movimento de homeostase.
"Se tudo for mantido sob o 'meu controle', sob o 'meu ideal', menos terei que adaptar-me." (será?)
Quem já não ouviu de alguém: "eu quanto a isso sou muito bem resolvido"?
Em geral a unica certeza dessas pessoas é que não são realmente 'bem resolvidas'.
Pessoas essas com perfil invergável e de pouca tolerancia.

O que é preciso é estar ciente de que somos menos do que um vírus nesse universo e que o homem tenta manter o controle do incontrolável. Talvez a 'teoria do Caos' não seja tão absurda assim.

Outro dia li algo assim:
'Não é o que nos acontece que é importante, mas o que fazemos com o que nos acontece'.

Para os mais religiosos: Um provérbio:
'O homem faz seus planos, mas é Deus quem os abençoa'.

Eu não me conheço 100% e bem sabes o quanto estou 'amaaaaando' essa viagem de descoberta.
A frase que agreguei a esse 'momento de descoberta':
Hoje eu tenho certeza sobre tudo, inclusive de minhas incertezas.

Não...voce não é claustrofóbica e poderia citar ene ooisas para que enxergue isso. Mas...creio que isso se dará melhor se o fizer junto a ti.
Não... não estou dizendo isso para desmontar sua postagem...plenamente pertinente.
Evitar fazer xixi na cadeia não lhe vai retirar a possibilidade de ver-se confinada contra sua vontade em ,80cm quadrados. Melhor ter a certeza que o volume de ar existente é suficiente por mais de 24horas, e renovavel já que o 'lugar' não é hermético.
Eu já fiquei preso no banheiro de casa...e bem sabe o tamanho dele...possuidor de uma janela considerável... contra a minha vontade, também me incomodou ficar por lá...ainda mais sozinho..rs...
mas...tendo recebido uma ferramenta por baixo da porta (um pedaço de cerra) consegui abrir.
Ministério da segurança adverte:
leve sempre consigo o celular.
ETA
JLM

Sentimentalidades-Todas disse...

E se levo o cel, advinha para quem ligo?
Não, não é para o garçom, para trazer mais uma dose de ar puro...

ETA

Confissões de uma borboleta disse...

Meio que desconfiei, aquele seu medo de avião...mais um pouco de autoconhecimento. Beijos