segunda-feira, 11 de junho de 2012

Por que você também não é uma data

Eu não espero um dia pra te amar. Eu amo agora. Quando ainda estou longe. E muito quando você está perto.
Amo mesmo quando estou calada, num canto qualquer de mim. Amo por som, e-mail e sms.
De certo todo esse amor já existia antes de você e sua flor chegarem. Mas foi com você que ele foi fazendo sentido, fazendo história. Me fazendo uma nova mulher (ou, enfim uma).
E preciso dar forma ao que é só seu. preciso  construir o amor. Te presentear com o que não se compra, não se vê, não se toca ou espera datas para acontecer.
Preciso descobrir a singeleza da violeta em mim. A nota que nos emociona. O quarto azul de te amar.
Sim, não sou uma data, como há muito você falou, mas aquela xícara em flor assinalou o calendário de um existir mais contente por aqui.
Lembra: ..."ou será que já ganhei antecipadamente pelo ano que vem?"
Desde então, eu acredito que está é uma linda história de amor real. Que ora faz rir, ora faz sangrar de saudade. Que me dar a certeza de que, para que eu tenha uma vida melhor, eu preciso que você esteja aqui... lá, em todo lugar. Ao meu redor.
Como um dia você me disse, leve-o é com carinho e afeto.
Esse presente só poderia ser seu, meu amor-perfeitinho!

Feliz dia dos namorados!
MLJ







Um comentário:

Julio Cesar disse...

Oi M.,
...Só há uma coisa a dizer:

fui abençoado por Deus por receber seu amor, carinho e afeto.

Você é uma mulher maravilhosa e que só tem me feito ser e sentir-me mais homem.

Obrigado
...a você
e a Deus.
beijos
ETA.JLM