domingo, 11 de novembro de 2007

Unhas, luto e auto-análise

Já tem alguns meses que pinto minhas unhas de preto. O que começou como um sinal de rebeldia, protesto contra tudo que me oprimia, entenda-se: as expectativas do Passado que eu devia corresponder , fim-de-semana passado tomou outro sentido, diria até que com um ar de insight.
Ao me perguntarem se elas, as unhas, estavam sempre de preto por luto pelas minhas relações amorosas que não deram certo (isso é coisa que se pergunte, heim???), eu rir. E muito. Retruquei esplendorosamente que elas, as fracassadas relações, pediam célebres festas de carnaval para marcar seus respectivos velórios (Toma-te. Fala o que quer, ouve o que não quer!).
Riam agora vocês de mim, meus Caros, por meu ingênuo e capenga mecanismo de defesa. Reatividade pura...
É, eu que pensei que as unhas marcavam apenas uma nova fase, uma nova identidade, quase um alter-ego - a De unhas negras e iris cor-de-mel - naquela tarde de sábado tive que reconhecer. Minhas unhas (e alguma parte de mim) se encotravam rebeldemente diferentes, novas, mas também de luto.

Luto por que fiquei com um gosto amargo da derrota nos lábio após a separação. Luto por que me negligenciei e frequentemente tenho negligenciado o fruto do meu quase-amor. Fiquei de luto. Estou de luto, mas só me permito -literalmente - uma ponta de tristeza por tudo que não ocorreu.

Posso me dizer enlutada sim senhor, mas orgulhosa por conseguir reconhecer isso e também por ter me oportunizado tal condição [Ah doloroso desinvestimento do objeto....], sem nunca perder de vista tudo que já reconsquistei, a duras penas, com o término do meu fracassado pseudo-casamento.

E hoje estou um pouco mais transparente aos meus olhos, às minhas necessiades. Hoje minhas unhas poderam ser menos dramáticas.
Mas que unhas pretas tem lá seu charme e sensualidade, isso tem.
Letrinha do dia: "Uma tigresa de unhas negras, e iris cor-de-mel. uma mulher, uma beleza que me aconteceu... Com alguns homens foi feliz, com outros foi mulher. Que tem muito ódio no coração, que tem dado muito amor. E espalhado muito prazer e muita dor..."

4 comentários:

Ultra Violet disse...

Ai amiga, entao isso quer dizer que eu so vivo de luto? kkkkkk...

Vc esta escrevendo muuito bem, estou aqui imaginando o quanto estas palavras rasgadas estao te fazendo ver quem eh voce, quem foi, o que ainda eh. O Blog como instrumento de auto-ajuda e psicoterapia gratuita. Ainda vou escrever um artigo sobre isso...

Vejo que estas bem entrosada com a familia Werneck...rs....

Bjs amiga e continue com suas unhas negras.

P.S:Lembro de vc ter me falado no nosso reencontro antes de vir ao Japao, que a primeira lembranca que vc tem de mim, eh das minhas unhas grandes pintadas de vermelho e eu com cara e vestido de menina. Uma menina, com maos de mulher. Achei tao lindo. Nao tinha essa leitura minha de quando ainda nem era gente.

Anônimo disse...

Zanzei e zanzei...fiquei por perto andei pelo monte, subi a grande rocha até o vento tocar a minha juba de maneira a sentir o cheiro da noite com os olhos no luar, passei nas florestas e pela realva do campo, passei por tocas e farejei o bastante.
Buscava o cheiro de uma felina que costumava por aqui passar, mas nada achei. Só me restou o luar.
Só me restou a minha mente sempre cheia de muita coisa, so me restou o lembrar.

Sentimentalidades-Todas disse...

Ultraviolet.....

ai filha, estou adorando esse novo instrumento refletor de mim mesma..
só falta eu conseguir mais tempo para ele...

E não é que esse povo Werneck é interessnate... de se ler... kkkk
Unhas negras unidas, já mais serão vencidas!

bjos e obrigada pela ressonância.

Sentimentalidades-Todas disse...

Caro(a) anônimo(a):

Gostei muito da pêrola deixada como ressonância.
Sinta-de a vontade para deixar rastros de sensibilidade!!!!

obrigada pelo presente.