quinta-feira, 25 de março de 2010

Num sábado desses... Cotijuba



Os morangos e seus campos foram minha trilha. Minha doce lembrança das horas de fuga. Deixei as dores e meus farrapos há 40 minutos de distância dali. Preocupação, horas e horários. Celular, nem pensar. Tudo era paz, água abundante e barenta, que bate no casco e rasga o horizonte. O riso se fez fácil porque tudo era contentamento.
Por menos que eu acredite no meio da insanidade, eu volto. Sempre volto ao meu estado quase ótimo, sem tensões.
Voltar foi preciso. (Acho mesmo que torna especial a viagem) E o que deveria ser despedida do paraiso, foi mais um reencontro com Uma do passado, que já tinha sido livre, em meio aquela paisagem...E quem me acompanhava neste reencontro, curiosamente, nunca viu aquelas margens, meio-fio de árvores, de labirito do rio-mar. Você deveria ter visto, ficaria "embevecido".

Tudo se manterá inalterado. Sederei e me constituirei a partir das pressões (internas e externas), afinal sou um animal social. Mas, não me furte a possibilidade de me abstrair daqui. De fugir, às vezes, e de desejar que tudo possa esperar pela minha volta no mesmo lugar.
Faço um trato com meus dias. Dei-me algumas horas para sonhar e serei uma boa menina!!!!

2 comentários:

Vladir Duarte disse...

É bom ter um refúgio desses, no qual a gente pode sempre recorrer para aliviar o espírito.

Márcio Ahimsa disse...

He he, a viagem parece que foi mesmo muito interessante e linda, basta olhar a paisagem, acho mesmo que dá um embevecimento na gente, rs...

Beijo querida.