sexta-feira, 17 de setembro de 2010

"Onde a dor não tem razão"

Canto
Pra dizer que no meu coração
Já não mais se agitam as ondas de uma paixão
Ele não é mais abrigo de amores perdidos
É um lago mais tranqüilo
Onde a dor não tem razão


Nele a semente de um novo amor nasceu
Livre de todo rancor, em flor se abriu
Venho reabrir as janelas da vida
E cantar como jamais cantei
Esta felicidade ainda


Quem esperou, como eu, por um novo carinho
E viveu tão sozinho
Tem que agradecer
Quando consegue do peito tirar um espinho
É que a velha esperança
Já não pode morrer
 (Samba enrredo da Portela)


No meu Gremio Recreativo da Felicidade transborda-se bem-querer por todas as alas.
Falar de nós, sentir o que já somos a tanto, há tempos, é o melhor samba enrredo.
E em mim as trasnformações tem se dado antes que qualquer censura me visite a boca, as idéias ou mesmo o coração.
Quero dançar com você!


MLJ

6 comentários:

Juliana Dias disse...

Que belo! Nada com um novo amor para fazer o coração renascer!

Adorei seu blog. Se puder participe do meu também!

Grande beijo!

Franck disse...

Já é carnaval no seu setembro, moça?
Um beijo!

Anne disse...

Vc, maravilhosa com as palavras, como sempre! Como o amor nos faz bem, né flor?

haha sim, o bosque tem quase dois quilômetros! Mas amiga, pensa numa mulher com as pernas doloridas hahha = euzinha aqui, rsrs Nem sei se vou hoje, por isso... afffff

Beijãooo pra ti!

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Menina como adoro um sambinha...
aliás música é vida né?
viva mesmo assim com intensidade!
beijocas,
Mari.

Confissões de uma borboleta disse...

Quanta beleza...
Nada como um novo amor,
um novo sentido!
Seja feliz!
Beijos

alguém disse...

Paulinho da Viola! Que gênio!