domingo, 24 de outubro de 2010

Sobre sapatos e desculpas

Eu só queira que você soubesse...
Que de tanto te querer, temo não te ver mais. Nunca mais.
Que eu me envergonho de não ser tão compreensiva com as tantas coisas, com os tantos quilomentros, que nos mantem separados
Que um dia desses cresço e me torno tão certa das minhas dúvidas e certezas quanto você


Queria também que você soubesse...
Que não vou esperar mais que algo especial aconteça apenas por ser uma data
(porque pequenas coisas podem ocorrer e não quero que elas percam a devida importância).
Que eu usei o par de sapatos que você escolheu pra mim
Por acreditar que eles não mereçam a punição da espera indeterminada...


Mas, se você diz que ainda vem. Tudo muda. Eu mudo
Limpo os meus saltos e apago da memoria o dia em que duvidei do futuro
E voltaremos a ser novos. Eu e eles
Como pede o nosso (re)encontro de almas.


Desculpa.


MLJ

14 comentários:

Julio Cesar disse...

Oi M., ...antes de escrever qualquer outra coisa, e para ser sim o primeiro (vou tentar)comentario aqui postado fui lá no meu(nosso) 'diario' eletrônico e recortei um trecho do texto, que reside no momento em que sua chegada em meu espaço fecundou aquilo que hoje está imenso e transbordou-me, aquilo a que eu chamo de Amor...amor verdadeiro. Amor esse que somente minha alma é capaz de dar conta pois meu corpo resiste a todas as investidas de minha mente e flagela-se com a ausência do seu.
Segue o trecho:

"ah...as flores não são pelo dia 12 não, Não atrasadas...e tão pouco adiantadas (mesmo que seja eu!..rs..sorry,...brincadeira e sem chiste, ok?)
mas...são flores de uma pessoa, de um cara, de um homem para enfatizar bem, que não aguarda e nem se baliza por datas para ver uma mulher sorrir, tão pouco a dar-lhe flores (ainda que muitas mulheres nãaao gostem de flores ou de recebe-las)"

Seguirei comentando abaixo.
Beijos...muito mais deles...que estou a disparar em tua direção desde que partiu. Sim...aquilo que deve teres visto rondando as asas não eram passaros.
Poesia?Fantasia?não...'peças' de uma realidade não cabivel nesta dimensão e que somente minha loucura parece poder ver.
JLM (Agora ou 'in memorian'...sempre)

Julio Cesar disse...

Amor...sabes que não uso a palavra 'Nunca' pois não me considero onipotente o suficiente para determinar o que está por vir.
Em verdade eu não me envergonho de falar abertamente que tenho "certeza de tudo"...principalmente das minhas incertezas...
Duvidas? tanto quanto incertezas devo te-las em pilhas e agora não me dou mais ao trabalho de ficar contabilizando-as. Afinal, quando findo algumas surgem outras!
Vivo...e com isso 'elas' vão se resolvendo independentemente de minhas escolhas e decisões. Escolhas e Decisões, sim, hoje sou mais focado nelas no que tange a minha pessoa...meu eu, tal como descrevo lá em 'Mourões' no Vendo e Sentindo. Nada de egoismo ou egocentrismo, sabes disso... mas um movimento que vai contra o anular-se. Isso me reconstruiu. Guardei do 'anterior' a essencia base: Amor. Dessa 'celula' primeira eu vou desdobrando.
A filosofia pura me fez compreender que não estou separado de você. A física também explica isso: 'não estamos separados pelo simples fato de que nunca poderemos estar juntos, pois 2 corpos não ocupam o mesmo espaço ao mesmo tempo'.
E mais do que tudo não há uma filosofia utópica nisso tudo.
Exatamente por não ter mais vergonha de expor o que de fato me constitui tenho a liberdade (que, segundo Hegel, liberdade é saber de fato quais são as nossas necessidades)de poder até por em dúvida (como Decartes) qual de fato é a verdade? a verdade de um relacionamento amoroso.
Qual é? a que de fato buscamos os atributos, fazemo-los para o outrem ou os que impetram-nos via cultura produto social?
O que eu quero para mim é o que dizem que devo querer?Quero para mim o que 'algo' que está dentro de mim e que hoje AFIRMO que não sei como o é em sua totalidade, pois não sou 'algo' pronto e que está sendo forjado pela existencia, aço bruto martelado pela experiencia no fogo da vida. Que sás um dia serei reluzente, de bela empunhadura e de fino corte!
segue:

Julio Cesar disse...

Não...esses comentários não deveriam sobrepor-se em tamanho à postagem. E por isso nem animei-me em falar de duvidas.

Nâo se preocupe em "Crescer" porque eu não cresci e nem pretendo crescer. Para que? Para ficarmos recalcados sob a carapaça social e procurarmos especialistas que vão desenvolver trabalhos terapeuticos para buscarmos a 'espontaneidade' infantil que reside em nós!

Compreensão? A que me encabeça é entender que a vida, o mundo, a natureza, o universo, possui um ritmo que caminha em seu próprio passo quer isso nos agrade ou não, quer corrobore ou não para a satisfação o quão mais rápida desejamos de saciar nossos desejos e vontades.

A determinação tem movido um sem numero de pessoas a vencer dificuldades e obstáculos que 'teimam' em surgir na frente delas (e nossa). Uma passagem biblica diz que o homem não é capaz de mudar sequer um fio branco de seu cabelo pela propria vontade. Podemos pedir a Deus e 'entender' sua bondade para conosco caso recebamos a Graça ou sua benevolencia para conosco mesmo não sendo agraçiado e que isso deve-se a nossa própria culpa.
Podemos nos determinar em cumprir com um plano/projeto e caso não frutifique atribuir a contingências desfavoráveis que fogem ao nosso dominio tenha interferido para o insucesso, mesmo que tudo que fizemos tenha sido perfeito e a falha tenha sido não antever a imprevisibilidade.
Aliás, para Sartre, é caracteristica do homem sua imprevisibilidade e irreversibilidade.
Segue...

Julio Cesar disse...

A coisa mais especial que me acometeu voce 'surgir' em minha vida. Desse momento em diante posso enumerar diversas datas e todas são igualmente especiais e tantas outras estão por vir.
O dia que eu te conheci é uma data inestimável.
Voce viu o quanto as 'pequenas' coisas me são de suma importancia tanto quanto as 'grandes' coisas.
Conheceu o quanto 'saboreio' e não degluto vorazmente as 'coisas', sejam elas de qualquer ordem e natureza.
Bastam-me um simples guardanapo... ou a reverberação em minha mente de uma palavra sua para em segundos eu me emocionar e sentir-te.
Escolhi o par de sapatos porque ficastes beeeela demais com eles. Meu coração subiu de frequencia quando vi (e ainda vejo) em pequeno caminhar frente ao espelho conferindo o que eu ja estava vendo.
Saberes que usou, ainda que não estivesse junto, só me faz sentir-me maior dentro do que bate no teu peito. Imagino o quanto e como deva ter se sentido quando em pé sobre eles... e o quanto 'eles' me fizeram estar junto de você.
Não há punição...há merecimento. Eles merecem quem os calça e você os merece muito. Ambos devem expor-se. Não porque penso que devemos viver 'lado-a-lado' compelirá que devas usar tuas vestes e tudo o mais que tenhas de especial somente quando estiver junto a ti.

Indeteminado? somos em sí seres indeterminados. Nada determina como e onde estarei no futuro, seja no instante seguinte à eu teclar enter para esse comentário ou para daqui a horas, dias, anos..decadas.

Se vou? Já estou aí. Por onde pensas que tenho andado desde que partistes? 'Nosso coração está onde encontra-se nosso tesouro'(Jesus).

segue:

Julio Cesar disse...

Amor...

Não apague da memória o dia que duvidou porque é o confronto com esse dia que tornará o homem em que deves crer.
Não limpe os saltos, pois eles revelarão que tens vividos comigo mesmo eu não estando junto de ti em corpo.

Somos novos, porque a cada momento nascemos para uma nova realidade.
Uma nova fase. Não são as marcas que nos envelhecem mas possuir marcas que nada nos venham a significar ou não termos vivido o suficiente para te-las (entenda como suficiente não o tempo de vida, mas energia dispendida). Estou novo para viver o amor que tenho por e com voce. Estarei novo quando chegar os 50, os 60, os 70...porque ainda não vive esses decanos.
Marcas?pedi-lhe que as deixasse em mim.

Desculpas?
só se elas vierem acompanhas de ti, com teus braços e abraços, teus lábios e teus beijos, teus longos e cheirosos cabelos...
e pode usar os sapatos.

JLM
com muita intensidade e verdade.

Julio Cesar disse...

Esse é teu espaço. Usei-o demasiadamente e não me importarei se achardes que deva apagar os meus comentários. Inclusive este.
beijos
JLM

Tempo Livre disse...

Com o coração pesado, uma moça já sem saltos escreve o desabafo... E a resposta vem urgente, com pressa, pulsante e vibrante, para te calçar os sapatos!

Eras, impossível não se emocionar!

bjs

Franck disse...

Fiquei até receoso de quebrar a troca de carinho entre vc e o julio, o moço que figou seu coração, escolheu sapatos e esteve num aeroporto de uma Ilha contigo...
Hj, me decepcionei com o tarô, os astros, as cartas, as fadas... Fiz de Caio o meu desabafo, espero que ele leia!
Bjs*

Anne disse...

Espero que estejas bem amiga... Esse rapaz te ama, não fique com medo em relação a nada.
Está tudo lindamente praparado pra vc, acredite.
Beijos em teu coração, espero q logo a gente marque nosso encontro.
Amarela

Mazane disse...

Eita que a gente fica até sem jeito de comentar em meio a tantas declarações!!!
Esse texto me fez imaginar um lindo casal, caminhando de mãos dadas (não sei se em São Paulo ou em Belém isso é o de menos). Se estiver por perto tiro uma foto que dê p aparecer o sapato dessa linda mulher!!!!!
Beijos amiga, saudade!!!!!!!

Tudo Aconteceu Assim disse...

Ola lindinha, estava com saudades de apreciar a delicadesa como trata as palavras que afloram do seu ser.
Amigos de blog tem mais em comum do que as pessoas podem imaginar, acredito que sobrevivemos por que as pessoas nos faz perceber que de alguma forma somos importante. Sumi mas agora estou de volta e não pense que ficarei sem fazer as minhas visitinhas a você

Beijos
Walter.

Confissões de uma borboleta disse...

As esperas e as paixões são deliciosas...quisera não está inerte. Te invejo,uma inveja boa...Mas curta esse momento!
Beijos

Eduardo Trindade disse...

Deixar a alma leve é o quanto basta para que ela possa voar. Palavras às vezes ajudam nesta tarefa. Que não te faltem asas, guria!

João Gilberto disse...

As desculpas foram pedidas, os amores realinhados, bem, sucesso em seu amor doutora.

Até mais.