quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Ressaca

Você é mesmo capaz de sacar quando meteu os dois pés numa gigantesca jaca?????
Bom, eu sou. Mas nem por isso deixo de buscar jacas e mais jacas para minha vida.

Me culpa! Andei falando demais, me dizendo demais. Anunciando essas coisas que nunca deveriam ter sido paridas pela boca, ao menos não tão cedo.

Assusto, eu sei. Gosto e até sinto prazer em afugentar os homens. Ver em seus olhos um ar de estrenheza, de certeza que o lugar diante de mim não é o seu. É claro que isso não passa de um teste muito capenga para que eu me certifique que ninguém vale muito a pena para desbravar meus pensamentos, meu coração. Ser misteriosa ou confusa, de certa forma, me garantiu alguma integridade até aqui. Atire a primeria pedra que nunca usou esse subterfúgio. Aliás, atire nada não. Não fale nada. Pense só.

Se de um lado - e tenho clareza quanto a isso - eu peco por fazer as perguntas erradas, por construir enormes fossos entre eu e um terceiro, quarto..., noutro estou para ser crucificada - por mim mesma, o que é o pior - por me expor em demasia. Me expôr a os olhos que geralmente não me veêm. E que perigo é poder ver de perto tudo que sou, belezas, defeitos, meu poder de transformação, minha plasticidade. Eu mesma ainda me acustumo com tudo o que me transformo a cada novo dia.

E agora??????

Perdir o espaço que o outro nem sabia q tinha me dado [Ou foi eu que tomei esse terreno? Ou pior, só eu achei que o tinha?] Achei toda a vergonha que a auto-censura pode nos dar. Se sonhar é só o que se quer, por que essa maldita mania de deixar o impulso atropelar a razão? Me conhecendo, sei que está longe o dia que eu possa ser menos passional.

Passada algumas horas desde meu delírio, tenho a sensação que só um amargor na boca me acompanha . De certo não foi a embriaguez que o deixou em mim. Ele é o fruto daquela flexa certeira que chamamos de ressaca moral, que anda querendo desestabilizar minhas idéias, meu amor próprio. E eu disse a ela: Me deixa trabalhar ou te exporei em praça pública, te anunciarei em toda tua inconsistência para te zombarem. Como prometido, eis aqui minha vingança. Dane-se agora ressaca [a]moral!

Vou inaugurar um novo momento por aqui, o chamarei de "suportando ser feliz". Vou me assumir desejosa e incompleta e exploda-se quem não suportar receber isso. Explado-se eu também quando não podor mais lutar contra as coisas que me escapam a razão. Ah chega de "razão" nesse mundo Meu. Chega de grandes teorias de auto-conhecimento. A saída vai ser uma sáida rápida para ser feliz.




Mesmo tendo quase certeza de uma resposta negativa, vou fazer a pergunta: Fui clara para você?
Se não, que pena isso ser um meio de comunicação tão limitado. Mas é o que se tem.

Como te disse ressurjo das cinzas, cinzas de um carnaval que nem vivi. Vou fazer a minha folia agora. Siga-me o bom.


Letrinha do dia: "Não me digam que sou louco, é só um jeito de corpo não precisa ninguém me acompanhar.."

2 comentários:

Tiago Enes disse...

:)
oi.
to passando só para fazer uma visitinha.
o blog tá muito legal,
bem interessante,
continue assim....
xD
:P

Sentimentalidades-Todas disse...

olá tiago!
obrigada pela visita, sinta-se a vontade..
abraços
logo que der, te retribuo a gentileza.
t+