sábado, 15 de março de 2008

O Inusitado


Sempre gostei de acontecimentos inusitados. Aliás, não só gosto como acabo cavando as situações, sentimentos inusitados para mim. Chorar quando é para rir ou urrar (de prazerou dor), rir quando estou desmoronando de tristeza...


Mas ele, ele superou todas as expectativas que eu poderia ter. Se idealizei? Não, não me dou mais a este luxo. E que bom que tudo foi fora do comum, diferente de qualquer coisa que eu podesse desejar neste momento. Ou será que foi apenas o que mais desejo?


É como escrevi da última vez. Não é apenas pelo o outro ou com ele, é essencialemnte pelo que o desejo ser/ter. Não vou mais sair de casa para entorpecer o outro, para me desconsiderar na interação. Só saio por fome ou sede... de beijos, de conhecimento, de empatia, de amor. E fome e sede é só o que tenho neste momento do existir.


Queria ter.

Quero ter.

Mas isso é uma outra estória, para uma outra noite ou madrugada.


3 comentários:

Alucinógena disse...

Particularmente, não gosto do inusitado. Não sou chegada a surpresas. Não é que eu goste de planejar tudo (não sou tão organizada muito menos metódica). Simplesmente prefiro estar preparada caso tenha que me levantar de uma queda.

Mas vc tá certíssima em só se movimentar pra matar a própria fome. A melhor coisa que fazemos, de fato, é não esperar nada de ninguém e muito menos abrir mão de nós mesmos pra agradar aos outros.

A única pessoa que vale à pena agradar nesse mundo somos nós mesmos e aqueles que nos amam de verdade.

Egoísmo, com certeza. Entre egoístas o que mais podem esperar?

Sentimentalidades-Todas disse...

Alucinógena.....

É. Quero, mesmo que vez por outra não consiga, ser um pouco mais egoísta....

Chega de ser banquente para a vida. Vamos devorá-la!!!!!

Abraços!!!!

hidden heart disse...

como poderia saborear esse artigo sem comentar. já que tanto coisa estremeceu aqui.

desejo que sempre sua criatividade nos brinde com tamanha intensidade.

---

hoje a minha paixão forçosamente viou minha amiga. acho que apesar da dor, ganhei.