sábado, 17 de julho de 2010

Ainda bem...

Não vou...

Que eu não sou ninguém de ir em conversa de esquecer
A tristeza de um amor que passou
Não, eu só vou se for pra ver uma estrela aparecer
Na manhã de um novo amor
(Canto de Ossanha - Toquinho)

Ainda bem que tenho você
Pra me lembrar que só podemos nos deter no aqui e agora
Só podemos ser felizes porque ainda hoje uma ligação faz sentido
Não quero compromissos para amanhã porque, pelo que me conheço, isso é uma possibilidade sob eterna ameaça.
Fecho com você que nosso melhor tempo é o que temos quando o dia finda ou quando chega ao meio, (agora, agora!), ainda que o cotidiano invada nossas conversas e de longas elas se transformem em fracionadas...
Fico contente quando tudo em você me convence de que não faz sentido minhas resistências a nós, ao que não consigo explicar, ao que foge de qualquer lógica capenga que sustente minha desesperada necessidade de controlar as emoções. 
E seu respeito ao que não deves saber me faz pensar - ou a querer, talvez - que meus defeitos em série se deram até aqui porque não tinha conhecido a compreensão mais que empática. E gosto do que tenho agora.
Freio-de-mão em franco desuso... 
De resto é não manter o foco no passado e esperar pra ver o que aparece na manhã de um novo dia, de preferência, antecedido por uma madrugada com você.

9 comentários:

Franck disse...

acho que as coisas estão melhorando pra vc, fico contente com isso! Bj* (hj minha alma cinza não se alegrou com o céu tão blues da Ilha...)

Sentimentalidades-Todas disse...

Franck:
Desejo que vc se desloque na paleta em direção às cores mais quentes. Vermelhos e laranjas. Energia e vibração.
Eu desejo, eu desejo... e que isso aconteça se é disso que vc precisa!
Abraços, querido!!!

Dri Andrade disse...

linda,Obrigada pela visita e pelo carinho, fiquei mega feliz!!!
ó,Tem post novo hoje . O beijo.

Rico Salles disse...

Nem sempre entendo a bela complexidade dos teus textos mas deixo um beijo!

Carlos Augusto Matos disse...

Vamos construir a nossa ligação????

Bjuxxxx

gabyshiffer disse...

O presente é o momento que se vive
o passado não volta e o futuro ninguém pode saber...
Lindo post
:)
Vim conhecer o seu blog
e já estou por aqui te seguindo
Q vc tenha uma linda noite
Beijos na alma!

gabyshiffer disse...

hehehe
dar pitaco
:)
Olha que eu vou dar tá
acho que vc deveria tirar essa senha de palavras aqui no coments...senha naum digo,verificação de palavras, isso eh chato...pronto falei!
Dificulta o comentário sabe, tem horas que trava, oh coisa chata!Pensa no caso tá?!
Bem agora eu vim mesmo foi pra desejar boa noite
Boa Sexta
beijos na alma!

zierley jardim disse...

que legal, querida.
falando no pará, tenho muitos parentes por ai.
sonho em voltar pra passear.
obrigado pela visita.
volte sempre.
abraço.

Julio Cesar disse...

Oi M.,...humm..complexidade da alma (e mente)humana faz parte de mim e em breve de forma profissional!...(colega..rs..)
M.,...a lista de blogs que sigo, somada aos que não sigo oficialmente mas por aí vou lendo...não é pequena. No entanto, é aqui que a minha 'julgada' maturidade veste-se de criança.
Porquê? como de perto acompanhas, as crianças e seus puros sonhos, malícia inocente e maldade 'inferível'(eu e minhas pseudopalavras...rs..-as vezes nosso rico idioma falta verbete para retratar o que sinto e desejo expressar, em outras, não me é possível tomar a tanto...-).
Criança...que sonha ao futuro...mas que intensamente vive um presente soberbamente, construíndo e moldando, remodelando, pictoriando o mundo com alegria e desenvoltura, despreocupada com o ontem, com a ultima hora em que um amiguinho lhe negou um brinquedo e agora chama-o para dividir o seu...Felicidade. Uma palavra que é intrinsica na criança e quem sem tal caracteristica a referida está adoecida.
Aqui...para dizer pouco(não ria), ao que tão somente importa, peço tua mão para brincar de roda, sentar no gira-gira e fazer as 'nuvens rodarem'junto com os céus. Fazer-me erguer à gangorra, em que eu também a farei...ver-me em preso ar ao escorregador deslizar, ou em gritos e gargalhadas esticarmos nossas pernas em impulso no balançooo...eu estou mais altoooo...(não, eu eu...dirá voce sobrepondo minha fala)...quase estasiados entre as atividades, mergulhar no vão de areia...ou jogar-se a grama enquanto os pulmões dão conta de inspirar o que necessitamos. Tome-me agora, minha mão um tanto mais suada...e sem desprendimento vamos juntos formatar os algodôes do fundo azul.
Felicidade...aqui me sinto assim.
bj
Julio
PS:isso...o q mal disse, é uma vã tentativa de expressar perplexidade dos seus posts...
Soberbo.